Pesquisar

Minhas Redes Sociais – Nosso contato direto com você

No link abaixo nosso contato e nosso endereço de redes sociais. Siga-nos nestas Redes Sociais e tenha sempre acesso as informações que publicamos regularmente.



CLIQUE AQUI!

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Aplicação de laser em pacientes com Retinose Pigmentar.

Objetivo
A retinite pigmentosa (RP) é um grupo de doenças genéticas raras que envolvem a degradação e perda de células na retina. O objetivo deste estudo é examinar os efeitos a longo prazo da terapia a laser de baixa intensidade (LLLT) em pacientes com (RP).
Métodos
A pesquisa foi implementada por um período de 3 anos. Para LLLT, o laser He-Ne com emissão contínua a 633 nm (01 mW / cm2) foi utilizado em pacientes com RP. No total, 14 pacientes (7 homens e 6 mulheres - 28 olhos) com RP de 56,5 ± 3,2 anos foram incluídos no estudo. A radiação laser foi aplicada 10 vezes transpupilar durante 3 min em dois dias para a mácula. A acuidade visual foi seguida por um período de 3 anos. Utilizou-se o ERG, o Anomaloscópio IF-2 TOMEY, o Roth Test 28 HUE Farnsworth-Munsell, o perímetro de Kugel, a perímetro de Humphrey, o angiograma de fluoresceína e o teste de Amsler.
Resultados
Os pacientes apresentavam queixa de nyctalopia e diminuição da visão. A biomicroscopia mostrou atrofia do nervo óptico e vasos retinianos estreitos com padrão típico de pigmentação retiniana. Os campos visuais foram reduzidos a um residual central de 10 graus. A acuidade visual manteve-se inalterada em todos os pacientes com RP. Houve um aumento estatisticamente significativo na acuidade visual (p <0,001, fim do estudo versus linha de base) para pacientes com RP durante o período de 3 anos após a LLLT. O escotoma concêntrico absoluto médio-periférico em RP foi reduzido após LLLT. Nos efeitos secundários foram observados durante a terapia.
Conclusões
Este estudo mostra que LLLT pode ser uma opção terapêutica duradoura para RP. Este é um tratamento altamente eficaz que melhora a acuidade visual por um longo tempo.
Referências
1. Ivandic BT1, Ivandic T. Terapia a laser de baixo nível melhora a visão em um paciente com retinite pigmentosa. Fotomed Laser Surg.

Fonte:http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1755-3768.2015.0376/abstract

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

ALERTA: VIAGRA PODE CAUSAR CEGUEIRA.

Um estudo publicado pelo Daily Mail revela que o consumo regular de Viagra pode causar cegueira nos homens

 

Pesquisadores australianos defendem que um dos ingredientes utilizados no viagra contra a impotência sexual pode afetar permanentemente a visão de homens que sofrem de problemas hereditários nos olhos. E pode afetar também aqueles que tendo uma visão perfeitamente normal, possuam um gene, ainda que escondido, de retinite pigmentosa.

 

 Uma das teorias apresentadas é a de que uma das drogas para a disfunção erétil obstrui uma enzima que é importante na transmissão de sinais luminosos da retina para o cérebro. Já é sabido que o sildenafila, ingrediente ativo na medicação contra a disfunção erétil pode causar problemas de visão temporários, mas agora chegou-se à conclusão que pode também causar danos permanentes a pessoas que tenham retinite pigmentosa nos olhos.

 

A retinite pigmentosa trata-se de um conjunto de doenças hereditárias, que causam a degeneração da retina. Esta pode dificultar a capacidade de visão das pessoas em locais com pouca luz, a perda da visão periférica e, por vezes, cegueira.

 

O estudo realizado pela Universidade de New South Wales, na Austrália, testou o sildenafila em ratos, dividindo-os em dois grupos: um deles perfeitamente saudável e o outro composto por animais com o gene da retinite pigmentosa. A experiência mostrou que o medicamento provocou problemas de visão durante dois dias nos ratos saudáveis e problemas durante duas semanas ao outro grupo.

 

Verificaram também que as células dos olhos dos animais morriam o que prova que o sildenafila pode causar cegueira.


Fonte:http://www.hogdf.com.br/noticias/alerta-viagra-pode-causar-cegueira

domingo, 27 de novembro de 2016

Novo estudo interrompe perca divisão causada pela retinose pigmentar.

créditos: página no Facebook doenças da visão. 
Perda de visão interrompida em retinite pigmentar ligada ao cromossomo X de fase tardia: um estudo novo pela University of Pennsylvania

uma equipe da Universidade da Pensilvânia anunciou em 2012, que tinham curado retinite pigmentosa ligada ao X, em cães.

Após 3 anos, a mesma equipe mostrou que eles podem curar a doença a longo prazo. O tratamento foi administrado depois de metade ou mais das células fotorreceptoras afectadas terem sido destruídas.

Uma vez que Retinitis Pigmentosa afeta os seres humanos da mesma forma como faz com cães, os resultados poderiam trabalhar para os seres humanos, bem como um estágio para ensaios clínicos humanos.

William A. Beltran, co-principal autor e professor associado de oftalmologia na Penn's School of Veterinary Medicine, disse:

O estudo de 2012 mostrou que a terapia genética foi eficaz se usado como um tratamento preventivo ou se você intervir logo após o início da morte celular.

Isso foi obviamente muito encorajador. Mas agora nós fomos mais longe, mostrando que o tratamento é duradouro e eficaz, mesmo quando iniciado em meados e fase tardia doença.

Retinite Pigmentosa

Artur V. Cideciyan, co-principal autor e professor de pesquisa de oftalmologia no Scheie Eye Institute na Penn's Perelman School of Medicine disse:

Isso acontece de ser uma doença muito grave com início muito precoce nas duas primeiras décadas de vida em seres humanos. Porque a progressão da doença em cães coincide com a progressão em seres humanos, isso nos dá muita confiança em traduzir esses resultados para eventualmente tratar seres humanos.

Fonte :
http://thegenericwhiz.com/vision-loss-stopped-retinitis-pigmentosa-new-study/

Desempenho bem sucedido do Argus.

Desempenho bem sucedido do Argus II abre caminho para maior disponibilidade, reembolso 


A disponibilidade do sistema de prótese de retina Argus II da Second Sight foi rápida expansão desde a primeira implantação comercial em 2011 por Stanislao Rizzo, MD, na Itália.

 O implante está actualmente aprovado e comercialmente disponível na Europa e nos EUA, e políticas de reembolso foram implementadas em vários países. 

"Dentro e depois de ensaios clínicos, temos tratado quase 150 pacientes," Will McGuire, presidente da Second Sight, disse na reunião Euretina. "Uma coisa que pavimenta nossa maneira é reembolso. Estamos a fazer progressos. Foi concedido um reembolso limitado em França, Itália, Alemanha e EUA, e continuamos a envidar esforços neste sentido. " 

"Na Itália, implantamos 21 Argus II, e 18 destes pacientes estão completamente satisfeitos", disse Rizzo. "A cirurgia agora é muito suave. Começamos com 4 horas e agora é menos de 2 horas. " 

Ele espera mais melhorias da tecnologia nos próximos 2 anos. 

"O número de eletrodos deve aumentar de 60 para 240, o que significa um maior campo visual e melhor definição de objetos", disse ele. 

Em entrevista à Ocular Surgery News na reunião, um paciente da Holanda, cujo sistema II Argus foi implantado por Marco Mura, MD, em junho de 2013, disse que está "feliz e orgulhoso" das melhorias progressivas que ele está fazendo em Realizando tarefas relacionadas à visão. 

"Minhas habilidades ficaram melhores com o tempo e o treinamento porque você tem que aprender a escanear o ambiente e o perfil dos objetos e interpretar o que você vê. A melhora é grande ", disse Jeroen Park. 


Jeroen Park 

Agora, ao caminhar na rua, ele pode detectar carros passando e pessoas andando, e ele pode ver encruzilhadas e objetos contrastando com um fundo mais claro ou mais escuro. 

"Eu vou a shows, e enquanto eu costumava sentar na parte de trás, porque eu não podia ver nada, agora eu me sento na primeira fila, porque eu posso ver a luz e os movimentos das pessoas jogando", disse ele. 

"Eu também fui esquiar, seguindo um guia de esqui e a neve tornou fácil porque eu podia ver o contorno do guia tão bem." 


Fonte :

http://www.healio.com/ophthalmology/retina-vitreous/news/online/%7B23bb34ad-2fc9-4780-8461-838463066b27%7D/video-successful-performance-of-argus-ii-paves-way-for-expanded-availability-reimbursement

Créditos: página no  Facebook, doenças da visão.

sábado, 26 de novembro de 2016

Retinoseiros um bicho metido.

Todos retinoseiros são metidos, nossa esse pessoal (RP)se achao a última bolacha do pacote você percebe isso fácil, vivem andando olhando para o chão só para não ter que olhar para as pessoas, já perceberam que eles simplesmente ignoram os amigos?
Passam pela rua só faltam esbarrar na gente e não falam um simples: ”Oi tudo bem?”.
E o pior é que no outro dia eles se comportam como se nada tivesse acontecido, também são pessoas cruéis sempre chutam as criancinhas e os animais, isso é muita maldade, adoram atrapalhar o trabalho do pessoal da limpeza, chutam os baldes as vassouras, mas que gente esnobe he,he, kkk... 
Se saírem à noite e tem um pobre mendigo na rua dormindo ou um bêbado sai loco dando bica nos pobres, pior que quando você conversa com eles no dia a dia são tão educados e gentis e depois na rua se transformam, já sei eles devem ter surtos de personalidade.
*OBS:Gente desculpa isso foi só uma brincadeira de retinoseiro para retinoseiro , se bem que tem gente que deve achar agente muito estranho mesmo kkkk.
Créditos: texto retirado de um perfil no Facebook, chamado Paulo retinose pigmentar.

domingo, 20 de novembro de 2016

Cientistas criam técnica capaz de reverter cegueira causada por doença na retina.

Cientistas estão trabalhando em uma nova técnica de edição de genes que combina o Crispr (ferramenta de edição de genoma) com uma nova habilidade, capaz de atingir células que não podem ser divididas. Esse novo mecanismo pode culminar no retorno da visão em pessoas cegas. Até o momento, foram realizados testes apenas em ratos com retinite pigmentosa, doença ocular que provoca degeneração na retina em quase dois milhões de pessoas em todo o mundo.

“Estamos muito entusiasmados com a tecnologia que descobrimos porque é algo que não poderia ser feito antes”, disse o autor do estudo, Juan Carlos Belmonte, professor do Laboratório de Expressão Genética do Instituto Salk, nos Estados Unidos, em declaração reproduzida pelo site de curiosidades científicas IFLS. “Pela primeira vez, podemos entrar em células que não dividem e modificar o DNA à vontade. As possíveis aplicações dessa descoberta são vastas”, acrescentou.

No estudo realizado com os ratos, após cinco semanas, a visão melhorou. A técnica entusiasmou os cientistas, que garantes que os resultados são bastante promissores, podendo chegar ao ponto de afastar completamente o risco de cegueira em portadores da doença, caso o tratamento comece de forma precoce. “Conseguimos melhorar a visão de ratos cegos. Este sucesso inicial sugere que esta tecnologia é muito promissora”, disse o co-autor do estudo Reyna Hernandez-Benitez. No caso da retinite pigmentosa, um dos genes que é danificado, chamado Merkt, é substituído e instinto por cópias que funcionam.

As células não divididas, caso do Merkt, representam a maior parte dos órgãos e tecidos do corpo humano. A nova técnica, portanto, pode ser aplicada em diversas outras enfermidades no futuro, incluindo doenças do coração, neurológicas e outras de retina. A ciência pode substituir células danificadas por cópias funcionais.


Fonte:http://curiosamente.diariodepernambuco.com.br/project/cientistas-criam-tecnica-capaz-de-reverter-cegueira-causada-por-doenca-na-retina/

sábado, 19 de novembro de 2016

Alcançamos a marca de 5 mil curtidas no Facebook.

É com muito orgulho e satisfação que informamos que chegamos  as 5 mil curtidas do Facebook!

Agradecemos a você, que fez com que a página Retinose pigmentar noticias  chegasse a esta marca, prestigiando nosso blog e nossa página do Facebook, seguindo nosso trabalho e nos incentivando nos comentários..Mais uma vez muito obrigado a todos, e se  você  ainda não curtiu, clique no link abaixo e curta nossa página!

CLIQUE AQUI E CURTA NOSSA PÁGINA!


Autor: Paulo Ricardo

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Proteínas encontradas em algas podem ajudar na luta contra a cegueira.

Cientistas podem ter encontrado uma cura para a cegueira
 
O globo ocular humano é uma espécie de incrível, sendo capaz de ver milhões e milhões de cores, ajustar automaticamente a condições de luz, e, em termos de câmera, ele contém cerca de 50 f-stops de capacidade. A luz entra em nossos olhos e cai em proteínas fotorreceptoras em nossa retina (as hastes e os cones). A partir daí, a informação é enviada para o cérebro através do gânglio e células bipolares atrás das hastes e cones. Seu cérebro ajusta a informação em mudança de seus olhos - como quando você está usando filtros de cor (óculos escuros) - quase imperceptivelmente. 
Em doenças degenerativas do olho como retinite pigmentosa ou degeneração macular, as varas e cones são destruídos, deixando um em cada quatro doentes legalmente cego. No entanto, as células mensageiro permanecem principalmente intactas. Isso é o que os cientistas esperam fazer experiências que eles têm feito com canalrhodopsin-2 - uma proteína sensível à luz encontrada em algas verdes - ter sucesso em pacientes com retinite pigmentosa. A canalrhodopsina-2 pode ser colocada na retina com terapia gênica, ignorando o sistema de haste e cone e permitindo que as células ganglionais sintam luz por conta própria. 
Os experimentos começaram em 2006, quando o Dr. Zhou-Hua Pan, pesquisador da Wayne State University, colocou a proteína em camundongos cegos, e trabalhou para restaurar sua visão na primeira tentativa. Vários anos mais tarde, a Therapeutics de RetroSense alugou a pesquisa de Pan para iniciar experimentações humanas. E no mês passado, o FDA aprovou . Os ensaios clínicos começarão em 15 pacientes até ao final do ano. 
Mas o processo pode não ser uma restauração total da visão. As células ganglionares não são necessariamente feitas para detectar luz, apenas sinais de processo. A proteína channelrodopsina-2 é 2.000 vezes menos sensível do que os cones e bastonetes em pleno funcionamento. Assim, mesmo com a proteína ajudando, pode haver algum daltonismo. A proteína é geralmente apenas responsiva a uma gama estreita de comprimentos de onda. 
O cérebro pode fazer ajustes, no entanto. Isso é parte do que resta a ser descoberto sobre o processo, testando-o em seres humanos. E já em 2016, a ciência poderia ter uma cura para as pessoas que sofrem de visão 

Fonte :
http://uproxx.com/gammasquad/algae-cure-for-blindness/
Créditos: página doenças da visão.

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Leitores de tela.

Leitores de tela

Fonte página  Jornalinho: 17 Novembro 2016
Colaboração: Aida Nascimento
Por Francimar

Você provavelmente está lendo este artigo sentado no sofá ou na cama, vestindo uma roupa bem fuleira. Muito provavelmente está torcendo para que este texto não seja muito longo. Normal, afinal, nos dias de hoje, ninguém tem mais saco para textões. Todo mundo prefere "textículos". ! Se você for uma pessoa com deficiência visual, você tem a possibilidade de ler meu texto através de um leitor de tela, seja ele o JAWS, NVDA, VoiceOver, Talkback
ou qualquer outro bagulho falante que você tenha. Essa sensação de "fazer parte" , te faz absorver, inclusive, o comportamento padrão do internauta, ou seja, nada muito longo, consumo rápido, fácil e preferencialmente sem usar muito o cérebro. Relaxa, essa introdução, um tanto quanto provocativa, foi apenas para te posicionar nos dias atuais e, quem sabe, fazer você refletir se caso o avanço dos leitores de tela e da tecnologia assistiva não tivesse chegado onde chegou. Mas você já parou para se perguntar como, quando e onde surgiu o primeiro leitor de tela? Pois bem, eu tive essa curiosidade e conto pra você! O texto abaixo possui diálogos fictícios, mas o contexto histórico é baseado em fatos reais.

A Inquietude de Bons Matemáticos

O ano é 1984. O Dr. Jim Thatcher está indo em direção à sala de Jesse Wright. Ambos trabalham na IBM. Se cumprimentam e começam a falar em matemática, ciência da computação, semântica e dados abstratos. O tipo de conversa que faria você, nos dias de hoje, sacar o celular e ver se alguém te mandou nudes pelo Whatsapp. Jim se aproxima de Jesse e fala:

- Dr. Wright, como vai?

Jesse estava com um semblante diferente. Àquele semblante que a gente fica quando passa um carro tocando funk, em um volume equivalente ao Monte Everest.

- Estou preocupado com essa evolução tecnológica. Ela me parece um tanto quanto desastrosa para a comunidade cega.

O Dr. Jesse Wright é cego. A IBM é uma das primeiras grandes empresas de tecnologia a se preocupar com a diversidade de funcionários. No século passado não era incomum encontrar funcionários negros, mulheres e pessoas com deficiência nos corredores da empresa, enquanto que outras empresas ainda nem pensavam nisso.

Jim refuta-o imediatamente.

- Mas em muitos casos o oposto é verdadeiro.

Jim não disse aquilo de bobeira, afinal ele era um dos primeiros do mundo a receber um PhD em Ciências da Computação pela Universidade de Michigan em 1963. Ou seja, o cara manjava dos paranauê quando o assunto era tecnologia.

Jim continua.

- A empresa que trabalhamos é pioneira em inovações tecnológicas e inclusão social. Talvez com o nosso conhecimento, possamos usar isso a nosso favor, fazendo com que os avanços tecnológicos sejam bons para todos, sem distinção.

O semblante do Dr. Wright mudou para algo muito parecido com um torcedor da Alemanha após o sétimo gol. Enquanto falava, o Dr. Thatcher olhava para um dos terminais na sala onde o Dr. Wright trabalhava.

Em 1984 os computadores eram máquinas muito grandes, com vários terminais conectados a ela. Esses terminais eram algo equivalente à um monitor e um teclado. Obviamente, tais terminais não eram acessíveis para pessoas com deficiência visual.

Jesse se levanta para beber água em um bebedouro próximo. Ele conhecia muito bem o ambiente e por isso dispensou a bengala. No caminho esbarra na mesa onde estava um terminal e toca sem querer no teclado, apertando com o dedo indicador a tecla Enter. Nesse momento, se entreolharam sensivelmente “o máximo de sensibilidade que dois matemáticos trabalhando em uma empresa de tecnologia poderiam ser“ e se conectam
mentalmente. Dr. Thatcher olhando para aquela cena, visualizou uma equação matemática. Normalmente sua mente funcionava assim. Dr. Jesse Wright + Terminal - Acessibilidade!

Jesse e Jim sabiam naquele momento o que precisava ser feito.

- Precisamos criar um sistema de som para cegos nesse terminal" - disse Jim empolgadão com o futuro desafio.

- Sistema de sons para cegos é um nome muito merda! - disse Jesse com cara feia.

- E que tal Terminal Falante?

- Não!

- Terminal com voz para cegos? Terminal Voz? Sistema falante em terminais IBM? Leitor de terminais? Cegueira Terminal?

- Não, não, não! E esse Cegueira Terminal que você falou aí, é o pior de todos!

Jesse estava com a boca mais seca que o Sistema Cantareira, nem tanto pela sede e sim por ficar discutindo com Jim por horas de como chamariam o tal sistema de voz para cegos.

Jesse indo em direção ao bebedouro disse:

- Jim, não importa o nome que vamos dar para esse sistema que lê a tela para cegos. O que importa...

Jesse foi bruscamente interrompido por Jim, como um coito adolescente flagrado pelos pais.

- É isso mano! Leitor de tela para cegos em terminais IBM!

- Humm, parece bom, mas ainda está longo. Que tal, apenas, Leitor de tela IBM?

O Leitor de tela da IBM

Já se passaram alguns meses desde que a dupla sertaneja Jesse e Jim começaram a trabalhar no IBM Screen Reader (esse era o nome em inglês). Eles estavam muito empolgados com a possibilidade do computador falar, mas não tinham a menor ideia do que aquele projeto poderia implicar positivamente na vida de milhares de pessoas com deficiência visual ao redor do mundo. Eles estavam encarando aquilo como um desafio e não estavam pensando naquilo como um produto ou algo parecido. Os computadores da época não tinham sistemas baseados em interface gráfica, ou seja, nada de apontar e clicar. Naquela época, o sistema dos computadores era o DOS, ou seja, tudo era feito através de linhas de comando.

Jesse está caminhando com passos rápidos, entra na sala de Jim, deixa sua bengala encostada na mesa, joga sua pasta cheia de material em braile e senta-se perto de seu parceiro de projeto. O Dr. Wright estava especialmente ansioso naquele momento. Ambos estavam trabalhando naquele projeto há quase dois anos.

- O que você está prestes a presenciar pode mudar a sua vida e a de muitas outras pessoas. Talvez em 20 ou 30 anos, as pessoas com deficiência visual, usarão sistemas digitais com auxílio de síntese de voz e não se darão conta do nosso pioneirismo e do nosso esforço sem precedentes" - disse Jim se imaginando como líder de uma tropa em um filme de guerra.

Jesse já não aguentava mais aquele blábláblá.

- Pelo amor de Euler, me mostre logo essa parada aí!

O Dr. Thatcher posiciona o Dr. Wright de frente para o terminal, mostra-o onde está o Enter. Ambos fecham os olhos. Jesse aperta a tecla e o terminal diz com voz sintética:

- Papai!

Espalhe essa ideia

Fim do texto

**********
Receba as mailinglists Jornalinho e colabore connosco.
Faça o seu pedido de inscrição e envie os seus contributos para:
redacao.jornalinho@gmail.com

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Apior parte de estar perdendo a visão.



Sabe o que mais me incomoda neste processo de estar perdendo a visão...? É a forma na qual você é visto e tratado pela sociedade, Se você é uma pessoa com baixa visão e usa bengala, é difícil o dia que você sai de casa e não tem alguma situação que você é tratado com indiferença. É o cara que vai lhe ajudar atravessar a rua e sai te arrastando pelo braço como um boneco, se você está acompanhado a pessoa invés de dirigir a palavra a você, fala com o seu acompanhante, e com isso te ignorando... E a  senhora na rua que te aborda do nada, e começa a fazer um monte de questionamento e te tratar como um pobrezinho. São inúmeras as situações...! Eu sei que a grande maioria das situações na qual eu mencionei acima está ligado a desinformação em relação a pessoa com deficiência, e também a ignorância. Mas o problema não está na ignorância e sim na sua persistência. O fato é que as pessoas infelizmente ainda não estão acostumadas a lidar com o diferente, a ir de encontro ao padrão imposto pela sociedade em que vivemos, sobretudo através da mídia...Infelizmente são situações constrangedoras que somos submetidos no dia a dia pela sociedade, que nos constrangem, nos irritam, nos deixam pra baixo. Mas com o tempo somos forçados a colocar muitas destas situações no modo automático, e procurar levar muitas destas situações com humor, ou simplesmente ignorar e seguir enfrente. Claro que também cabe a nós em muitas situações bater de frente, e mostrar para a sociedade o que sentimos e o que pensamos, e assim ir fazendo um trabalho de formiguinha buscando conscientizar as  pessoas em relação a adversidade.

Autor:Paulo Ricardo

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Retinose pigmentar pode ser tratada por metabolismo do açúcar.

retinite pigmentosa podem ser tratados por metabolismo do açúcar reprogramação

Imagem da retina do olho direito de um paciente com retinose pigmentar devido à deficiência de fosfodiesterase. pigmentos intra-retinianas (rosa) são vistos em áreas de perda de fotorreceptores. Crédito: Cuidados com a visão do Jonas Crianças, Columbia University Medical Center
Columbia University Medical Center (CUMC) investigadores demonstraram que a perda de visão associada com uma forma de retinite pigmentosa (RP) pode ser retardado drasticamente através da reprogramação do metabolismo de fotorreceptores, ou sensores de luz, na retina. O estudo realizado em ratos, representa uma nova abordagem para o tratamento de RP, em que a terapia tem como objectivo corrigir as aberrações do metabolismo a jusante da doença, em vez de o defeito genético subjacente.
Os resultados foram publicados on-line hoje no Journal of Clinical Investigation .

"Embora a terapia genética mostrou-se promissor em RP, é complicado pelo facto de que os defeitos em 67 genes têm sido associados à desordem, e cada defeito genético exigiria uma terapia diferente", disse o líder do estudo Stephen H. Tsang, MD, PhD , o László Z. Professor Bito associado de oftalmologia, Patologia e Biologia celular, e do Instituto de Nutrição Humana. "Nosso estudo mostra que a precisão metabólica reprogramação pode melhorar a sobrevivência e função de hastes afetadas e cones em pelo menos um tipo de RP. Uma vez que muitos, se não a maioria, formas da doença têm o mesmo erro metabólico, precisão reprogramação poderia concebivelmente ser aplicada para uma ampla gama de pacientes de RP. "

RP, uma forma hereditária de perda de visão , é causada por defeitos genéticos que levam à quebra e perda de hastes, os fotorreceptores na retina, que permitem a visão periférica e noite. Com o tempo, a deterioração das hastes compromete a função de cones, os fotorreceptores sensível à cor. Pessoas com início RP para experimentar a perda da visão na infância, e muitos estão cegos pelo tempo que eles atinjam a idade adulta. Actualmente, não existe cura ou tratamento eficaz para a RP, que afecta cerca de 1 em 4000 pessoas em todo o mundo.

Hastes estão entre as células mais metabolicamente activas no organismo. Eles são particularmente ativos durante períodos de escuridão, quando se queimam glicose para liberar energia. Num artigo anterior, o Dr. Tsang e seus colegas teorizado que as hastes deteriorar-se em RP, em parte, porque eles perdem a capacidade do dia para utilizar glicose para reconstruir segmento exterior dos bastonetes (a porção de absorção de luz do fotorreceptor). "Nossa hipótese é que as hastes doentes poderiam ser resgatados por reprogramação metabolismo do açúcar ", disse Tsang.

Dr. Tsang testado esta hipótese em ratinhos com uma mutação no gene PDE6 que perturba o metabolismo haste, levando a um distúrbio RP-like. Os ratos foram tratados de modo a que as suas varas não poderia expressar Sirt6, um gene que inibe o metabolismo do açúcar.

Exame de fotorreceptores com eletroretinografia mostrou que os ratos tinham significativamente maiores medidas de haste e do cone de saúde do que os controlos não tratados. Em geral, os metabolomes (todos os metabolitos encontrados num organismo) dos ratinhos tratados tinham acumulado as moléculas necessárias para a construção do segmento exterior. Além disso, ambos os bastonetes e cones sobreviveram mais tempo nos ratinhos tratados do que nos controlos.

Embora o tratamento prolongou significativamente a sobrevivência das hastes doentes e cones, não impedir a sua eventual morte. "Nosso próximo desafio é descobrir como estender o efeito terapêutico da inibição Sirt6", disse Tsang.

"Embora o tratamento que foi usado nos ratinhos não pode ser aplicado directamente aos seres humanos, vários inibidores conhecidos Sirt6 poderia ser avaliado para uso clínico," de acordo com Vinit B. Mahajan, MD, PhD, um investigador contribuindo a partir da Universidade de Iowa. Os inibidores incluem bloqueadores enzima chamada thiomyristoyl peptídeos, um pigmento planta comum conhecida como a quercetina e vitexina, uma substância derivada da árvore Inglês Hawthorn.

Dr. Tsang observou: "Mais estudos são necessários para explorar a possibilidade emocionante que a reprogramação de precisão metabólica pode ser usado para tratar outras formas de RP e degeneração 

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Tenho baixa visão tenho direito a me aposentar? Confira as regras.

Em primeiro lugar, a aposentadoria por invalidez é um benefício que não se deseja, pois é concedida apenas para quem sofre alguma incapacidade sem cura e que impossibilite totalmente a realização do trabalho.
A Aposentadoria por Invalidez pode ser cessada?
Sim, é possível que a aposentadoria por invalidez seja interrompida em alguns casos. São eles:
1. O aposentado por invalidez voltar a trabalhar. Sua aposentadoria será automaticamente cancelada a partir da data do retorno;
2. Quando há óbito do aposentado. Nesse caso é possível transformar a aposentadoria por invalidez em pensão por morte.
3. Quando o aposentado por invalidez recupera a capacidade de trabalho.
No terceiro caso, devem ser seguidos alguns procedimentos, dependendo de como e quando ocorreu a recuperação.
Se a recuperação ocorrer em até 5 anos após o início da aposentadoria por invalidez, o benefício poderá encerrar imediatamente caso o segurado tenha direito de voltar à função que desempenhava na empresa quando se aposentou. Se não puder voltar para a mesma função, então o benefício será encerrado de acordo com o tempo que ele ficou recebendo.
Por exemplo, se recebeu por 3 anos, terá 3 meses de recebimento após identificada a recuperação da capacidade para o trabalho.
Se a recuperação acontece:
1. Após os 5 anos de recebimento do benefício;
2. De forma parcial; ou
3. Quando o segurado está apto para desenvolver outra atividade, diferente da que exercia quando sofreu a invalidez
Ele terá uma redução gradual no valor do benefício da seguinte maneira:
Nos seis primeiros meses após a identificação da recuperação, ele receberá o salário integral, podendo acumular com o recebido no trabalho. Encerrado esse primeiro período, ficará mais seis meses recebendo 50% do valor do benefício e, depois, por mais seis meses, receberá ¾ dos 50%. No final desse último período de seis meses, o benefício encerrará completamente.
Além disso, a aposentadoria por invalidez é concedida ao trabalhador mesmo sem tempo de contribuição ou idade completa para aposentadoria, porque ele não possui mais condições de continuar em atividade laboral devido a doenças ou acidentes.
Direitos Trabalhistas
Quando o empregado obtém a concessão da Aposentadoria por Invalidez acontece a rescisão automática do contrato de trabalho. Desta maneira, ele deve comparecer à empresa para pedir as contas e garantir todos os direitos que possui em relação àquele contrato. Recomendamos que essa solicitação seja realizada imediatamente, pois passados dois anos da rescisão automática, o aposentado perderá tais direitos.
Qual é o valor do benefício?
A aposentadoria por invalidez é o benefício que tem o melhor cálculo entre todos, a fim de compensar o trabalhador que não chegou até o fim de sua vida laboral. Ele é concedido com 100% do salário-de-benefício até a data da concessão. Assim, se o salário de benefício resultou em R$3000,00 a pessoa vai receber R$3000,00 .
Quais são os requisitos?
Para ter direito à aposentadoria por invalidez, é preciso completar a carência e ter qualidade de segurado, exceto se a incapacidade aconteceu por causa de algum acidente (fato imprevisível), acidente de trabalho, doença ocupacional (causada pelo exercício de sua profissão) ou doença grave.
É importante levar em consideração que não é concedida aposentadoria por invalidez para doenças ou lesões que a pessoa tinha antes de começar a contribuir para o INSS, exceto quando essa doença ou lesão piorar depois do inicio da contribuição para o INSS, a ponto de tornar o segurado incapaz para o trabalho.
Se não for nenhum desses casos, precisará:
1. Ter 12 meses de contribuição para o INSS.
2. Estar contribuindo quando foi acometido da doença ou da lesão, ou se houver parado de contribuir por causa de desemprego comprovado, tenha sido em no máximo 25 meses antes desse fato. Também é possível aumentar esse prazo para 37 meses caso o trabalhador tenha mais de 10 anos de contribuição à Previdência Social.
Algumas das doenças graves que isentam de carência, são:
tuberculose ativa;
hanseníase;
alienação mental;
neoplasia maligna;
cegueira;
paralisia irreversível e incapacitante;
cardiopatia grave;
doença de Parkinson;
espondiloartrose anquilosante;
nefropatia grave;
estado avançado da doença de Paget (osteíte deformante);
Síndrome da Imunodeficiência Adquirida-AIDS;
contaminação por radiação com base em conclusão da medicina especializada; ou
hepatopatia grave.
Outras doenças definidas como graves pela justiça.
Apesar dessa lista, não é possível definir com certeza que uma doença dará direito à aposentadoria por invalidez. Para isso é preciso verificar, caso a caso, a gravidade da doença. Em algumas situações o câncer poderá incapacitar para o trabalho, em outras essa incapacidade será temporária ou sequer acontecerá.
Como é o procedimento para obter a Aposentadoria por Invalidez?
Para obter a aposentadoria por invalidez o primeiro passo é realizar o agendamento de perícia no INSS. Ele pode ser realizado no site da previdência ou pelo telefone 135.  É altamente recomendado que seja realizada a marcação pela internet, preferencialmente, pois o site irá gerar um documento de comprovação do agendamento. Isso é importante porque é comum que o INSS cancele a perícia e não avise ou ocorra algum problema no agendamento.
No dia da perícia você deve levar todos os documentos médicos que comprovem a sua incapacidade, sendo indispensável o atestado com CID. Dentre os documentos, você pode levar exames clínicos, exames laboratoriais, exames de imagem, receitas médicas, boletim de entrada no hospital, atestados de consultas e, sempre, o atestado com a CID. Isso porque o número da CID é o código internacional que irá dar base para a decisão do perito. Sem ele é provável que o perito negue o pedido de aposentadoria por invalidez ou qualquer outro benefício por incapacidade.
Outra documentação importante de ser levada são as Carteiras de Trabalho e/ou Carnês de Recolhimento e, se puder, confira os salários de contribuição constante no sistema CNIS do INSS, a fim de não receber valores menores do que tem direito.
Não existe uma perícia específica para aposentadoria por invalidez. A perícia é marcada para verificar a necessidade de um benefício por incapacidade, que pode ser a aposentadoria por invalidez, o auxílio doença ou o auxílio acidente. O que determinará o tipo de benefício é o grau de incapacidade (parcial ou total) e se há ou não cura para ela.
Cuidados para se ter com a perícia do INSS
Recomendamos sempre que quem fizer uma perícia no INSS exija um documento de comprovação. Pode ser uma ficha da fila de espera ou uma consulta aos sistemas informatizados do INSS que tenham data e hora, pois é comum que os médicos não atendam os segurados e depois indiquem que não houve comparecimento do segurado na data marcada.
Em caso de mau atendimento pelo médico perito, ou perícia realizada em poucos minutos (menos de 5 minutos pelo menos), reclame com o Chefe da Agência, assim como com qualquer outro procedimento duvidoso que o médico possa vir a cometer. Também solicite algo que comprove essa reclamação, registrando o problema.
Se não for necessário mostrar partes do corpo para verificar sua doença ou lesão, negue.
O comunicado de decisão fica disponível no dia seguinte à realização da pericia. Você poderá obtê-lo pela internet ou indo direto à agencia do INSS.
Por que o INSS nega o benefício?
Quando o INSS nega a perícia, mas o segurado claramente possui uma incapacidade para o trabalho, há solução. Em quase metade dos casos os pedidos são negados. A causa pode estar ligada ao tipo de  doença ou lesão, aos documentos médicos ou a uma falha do INSS.
No primeiro caso, relacionado ao tipo de doença ou lesão, o que acontece é que os peritos do INSS são clínicos gerais e não especialistas. Assim, como a incapacidade é algo muito específico e complexo, pode se tornar complicado para o perito identificar e medir o grau de incapacidade do segurado.
A segunda possibilidade se refere aos documentos médicos levados pelo segurado no dia da perícia. É bastante comum que faltem registros fundamentais, como o atestado com CID. Quem não leva o atestado com CID no dia da perícia, certamente terá o pedido negado. Além disso, outros documentos precisam confirmar a lesão e incapacidade.
Finalmente, pode ter ocorrido uma falha do INSS. Essa falha pode ser por uma análise incorreta ou por falta de atenção. Isso acontece quando a perícia acontece rápido demais, com cinco minutos ou menos de duração.
O que fazer quando o INSS nega o benefício?
Se o benefício for negado e você discordar da decisão, deverá ingressar com uma ação judicial. A maioria dos casos que nos deparamos acaba sendo concedida na via judicial. A vantagem é que a perícia judicial é feita com um médico de confiança do juiz, especialista no problema de saúde do segurado. Isso garante uma atenção e conhecimento maior sobre o problema, o que acarreta em decisões mais favoráveis.
Transformação de Auxílio Doença em Aposentadoria por Invalidez
Com a invenção da alta programada, o INSS passou a dar prazo, em geral de 1 a 6 meses, para que o segurado receba benefício e depois volte ao trabalho, mas normalmente esse prazo não passa de 2 meses, submetendo o segurado a repetidas perícias médicas para análise da mesma doença, o que é altamente desgastante e leva o segurado a crer que transformar o auxílio doença em aposentadoria por invalidez é a melhor opção. Todavia, é preciso ter cuidado com esta ação.
Muitas pessoas nos procuram para ingressar com ação para transformar Auxílio Doença em Aposentadoria por Invalidez, a fim de cessar a necessidade de ir periodicamente à agência do INSS realizar perícia e não ficar mais sob o medo de perder o beneficio de repente. Além disso, a aposentadoria por invalidez tem uma vantagem financeira de 9% em relação ao auxílio doença.
Entretanto, aconselhamos nossos clientes, com algumas exceções, a não ingressar com a este pedido. A avaliação pericial varia de acordo com o ponto de vista do médico que realiza o exame, desta forma existe a possibilidade do segurado ter seu benefício de auxílio doença concedido pelo INSS e, ao tentar transformar em aposentadoria por invalidez na esfera judicial, ser considerado apto ao trabalho, receber alta e perder até mesmo o auxílio doença. Uma vez em que o benefício por incapacidade é cessado judicialmente, se torna extremamente difícil a reversão da decisão, trazendo inúmeros prejuízos ao segurado.
A recomendação é de que só se dê entrada com pedido judicial para transformar o auxílio doença em aposentadoria por invalidez em casos de agravamento sério da doença, como diabetes que leve a cegueira ou AVC com paralisia parcial do corpo.
Aumento de 25% e casos de doença grave com dependência de terceiros
Aposentados por invalidez podem receber um aumento de 25% no valor do benefício se ele for concedido por causa de doença grave que o faça depender de terceiros ou se a sua incapacidade se desenvolver após a conquista da aposentadoria para um quadro assim.
Esse benefício pode ser concedido a todos os aposentados que desenvolvem doenças graves com dependência permanente de terceiros. Essa permanência diz respeito à necessidade de ajuda de outras pessoas para realizar atividades cotidianas básicas, como se alimentar e tomar banho. Se o aposentado precisa que alguém o coloque debaixo do chuveiro, por exemplo, ou que dê comida na boca, há dependência e pode entrar com o pedido do aumento.

Fonte:http://koetzadvocacia.com.br/aposentadoria-por-invalidez/

Usando o aplicativo Uber com acessibilidade no iphone.

Clique aqui e assista o vídeo.

Antes de começar eu quero deixar aqui um cupom de desconto para futuros usuários do aplicativo Uber, ou você que já tem o aplicativo instalado e ainda não fez a sua primeira viagem. O que você acha de ganhar 20 reais de desconto em suas 2 primeiras viagem com a Uber? Para isso é bem simples basta você cadastrar em seu aplicativo o seguinte código (q7nfan5jue).
O aplicativo Uber pode ser baixado no Androide, no iOS podendo ser utilizado em qualquer cidade que tenha disponibilidade dos serviços do Uber.
O uber aceita pagamentos em dinheiro,mas você também pode cadastrar o seu cartão de crédito ou débito e a corrida é debitada diretamente no cartão.
Os preços do Uber são bem mais baratos se comparado com o preço de táxis convencionais. E Com o código promocional (q7nfan5jue), a sua primeira corrida ainda tem um bom desconto.

Para usar o leitor de telas do iPhone o VoiceOver,no aplicativo da uber  basta seguir o passo a passo abaixo.

PARA ABRIR O APLICATIVO DA UBER:- Passe o dedo até ouvir o anúncio do aplicativo da Uber. Toque duas vezes para abrir ou diga à Siri para “Iniciar Uber”.COMO DEFINIR SEU LOCAL DE PARTIDA:- Com o app aberto, passe o dedo até o item “Local de partida”. Se você já estiver no local desejado, passe o dedo uma vez para a direita para usá-lo como local de partida. Caso queira mudar o local de partida, toque duas vezes nele e use o teclado virtual para inserir o local ou o endereço onde quiser embarcar. Confirme se esse é o local exato que você quer antes de selecioná-lo na lista no topo da tela.
- Quando tiver escolhido o local desejado, toque duas vezes no botão “Definir local de partida” e você será direcionado para a tela de confirmação. Confirme se os detalhes da local estão corretos e se o cartão de crédito que deseja usar está selecionado. Adicione o endereço de destino da mesma maneira que você selecionou seu local de partida. Caso receba um pop-up de preço dinâmico, você pode cancelar, pedir que seja notificado quando terminar ou aceitar o preço mais alto. Se aceitar, é possível que seja direcionado para uma tela com um teclado numérico, onde deverá inserir os dois dígitos do preço dinâmico, tais como 2 1 para 2,1 vezes o preço normal. Finalmente você deverá então selecionar o botão de confirmação para solicitar a viagem com o Uber. Confirme antes de solicitar a viagem que o tipo de veículo selecionado é o que você quer.
PARA SELECIONAR UM VEÍCULO:- Na tela de solicitação, deslize e selecione um tipo de veículo.
- Se o botão selecionado exibir o tipo de veículo de sua escolha, toque duas vezes para ouvir o TEC (Tempo de chegada estimado), o preço mínimo e o número máximo de passageiros.
- Deslize para ouvir os preços. Estes preços podem refletir o multiplicador do preço dinâmico, caso esteja ativo.
PARTIDA:- Quando o motorista estiver a caminho, você poderá entrar em contato com ele pelo menu Opções de viagem, por meio de texto ou chamada. Embora tenha inserido um endereço, é recomendável enviar via texto alguns detalhes para ajudar o motorista a encontrá-lo.
- Você receberá uma notificação push informando que o motorista chegou. Se o VoiceOver estiver habilitado, essa notificação será lida em voz alta.
MENU AÇÕES DA VIAGEM:- Após o motorista ter sido atribuído, deslize para baixo para ouvir o nome dele, o preço e as informações do veículo.
- Deslize para o menu de ações da viagem para dividir a tarifa, compartilhar seu TEC com um amigo, entrar em contato com o motorista, alterar o método de pagamento ou cancelar a viagem.
COMO...:
- Dividir valor: toque no botão “Dividir valor”. Sua lista de contatos aparecerá e você poderá usar a Siri para ditar, ou digitar manualmente o nome de um amigo para dividir o valor.
- Compartilhar o TEC: toque no botão “Compartilhar TEC”. Insira o destino no campo de busca, usando a Siri para ditar ou digitando manualmente. O Uber criará uma nova mensagem de texto para que você envie a um amigo.
- Entrar em contato com o motorista: toque no botão “Entrar em contato com o motorista”. Deslize o botão até “Ligar para o motorista” ou “Enviar mensagem ao motorista” e toque duas vezes para prosseguir.
- Alterar pagamento: toque no botão “Alterar pagamento”. Deslize para baixo para selecionar o cartão de crédito correto a ser cobrado e toque duas vezes para confirmar. Para ativar e desativar os créditos Uber, toque duas vezes para deslizar a barra de créditos.
- Cancelar viagem: toque no botão “Cancelar viagem”. Deslize para “sim” ou “não” para confirmar que deseja cancelar a viagem. Tente não cancelar menos de 5 minutos antes do motorista chegar. Se fizer isso, talvez seja cobrado um preço mínimo, pois o motorista já estará a caminho. Toque duas vezes para prosseguir.
APÓS A VIAGEM:- Quando o motorista finalizar a viagem, aparecerá uma tela de avaliação onde você poderá avaliar o motorista em uma escala de uma a cinco estrelas. Toque duas vezes na quantidade de estrelas que desejar. Selecione o botão Comentários caso queira inserir qualquer comentário.
- Após adicionar seus comentários, deslize para cima para selecionar um tipo de problema. Finalmente, na tela de avaliação, pressione Enviar.


Fonte:https://help.uber.com/pt_BR/h/902465fa-f227-49f1-aee4-59940446e792

Novidades de alta tecnologia ajudam na luta contra a Retinose pigmentar e outras doenças da visão.

Em todo o planeta, 39 milhões de pessoas não conseguem enxergar. Cerca de 240 milhões enxergam mal. Mas as novas tecnologias prometes ajudar a combater esse mal. E muitos pacientes se beneficiam das técnicas usadas na medicina. Veja na reportagem!
CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR!

Fonte:http://noticias.r7.com/domingo-espetacular/videos/novidades-de-alta-tecnologia-ajudam-na-luta-contra-a-cegueira-13112016

domingo, 13 de novembro de 2016

Retinacomplex pode diminuir o avanço da retinose pigmentar.

Retinacomplex  
Há evidências de que os antioxidantes podem retardar o curso da degeneração retiniana em modelos animais de RP. 
Um ensaio clínico humano começou (2008) para estabelecer se Retinacomplex  tratamento irá retardar a taxa de degeneração retiniana em pacientes adultos com retinite pigmentosa (RP). Este julgamento está sendo conduzido em Espanha. 

Retinacomplex :  

1) A luteína e a zeaxantina - carotenóides normalmente presentes na retina e fotorreceptores ( cones e bastonetes ). Eles atuam como antioxidantes, absorvem luz UV e azul e neutralizam oxigênio reativo (forma tóxica de oxigênio). 
2) L-glutationa (GSH) - outro antioxidante importante já presente em todas as células da retina. 
3) Alpha-lipóico - antioxidante. 
4) polissacáridos de Lycium Barbarum Lynn (wolfberries) wolfberries, usado na China há milhares de anos para seu efeito benéfico relatada em muitos órgãos do corpo, incluindo os olhos. 

Os primeiros 12 meses do estudo foram agora concluídos com um total de 44 indivíduos com RP. 23 doentes receberam Retina complex e 21 indivíduos receberam um placebo (comprimidos aparecendo semelhantes sem ingredientes activos) durante 12 meses. Houve alguma evidência inicial sugerindo que Retina complex pode retardar a progressão da doença nos indivíduos tratados em comparação com aqueles que recebem apenas placebo (Setembro de 2009). 

Este estudo em curso foi alargado para investigar este possível efeito benéfico. Espera-se que este ensaio forneça evidências para ajudar a responder à questão de saber se esta ou outras preparações antioxidantes têm algum papel a desempenhar no tratamento da RP. 

Fonte :
http://www.rpfightingblindness.org.uk/index.php?tln=research&pageid=22
Créditos página doenças da visão.

sábado, 12 de novembro de 2016

Aos poucos vou perdendo minha visão

lendo o histórico de minhas publicações em uma página sobre Retinose pigmentar, me deparei com uma publicação minha de 2012, na ocasião eu estava falando da minha dificuldade de enxergar no celular. Então 4 anos se passaram e hoje eu não consigo ler mais nada na tela do aparelho, é inevitável não bater uma certa tristeza nestas horas. E ontem em uma consulta com meu oftalmologista só confirmou o quanto minha visão bem declinando, pois no teste na Tabela de Snellen em comparação ao ano passado minha visão caiu ainda mais, ano passado com uma certa  dificuldade conseguia enxergar a primeira linha de letras da tabela, desta vez não consegui ver mais nada.Sei que nos últimos anos eu progredi  bastante na questão de auto aceitação, mas Não existe a possibilidade de seguir em frente, de virar a página,  sem viver a perda.  É preciso respeitar a tristeza e o tempo. Nós somos pessoas, nós somos humanos, não somos máquinas. Nós sentimos mesmo, e se sentimos, temos que viver isso.Em fim vida que segue, afinal  a vida não espera  agente ficar pronto, ela faz da gente forte o suficiente para suportar e seguir em frente.

Paulo Ricardo

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Ex-prefeito de São Francisco no EUA luta contra a retinose pigmentar.

Da Mayor e o ensaio clínico que poderia ajudar a salvar a sua visão 

O ex-prefeito de San Francisco e presidente da Assembléia Estadual da Califórnia Willie Brown é muitas coisas, mas tímido não é um deles. Um perfil dele no San Francisco Chronicle uma vez o descreveu como "Brash, inteligente, confiante". Mas durante anos, o prefeito de Da - como ele é carinhosamente conhecido na Cidade - disse muito pouco sobre uma condição que está destruindo lentamente sua visão. Prefeito Brown tem retinite pigmentosa (RP). 
RP é uma doença degenerativa que destrói lentamente a visão de uma pessoa atacando e destruindo fotorreceptores na retina, a área sensível à luz na parte de trás do olho que é crítica para a visão. Em uma recente conferência realizada pela Fundação Everylife para as Doenças Raras , o prefeito Brown deu a palestra e falou sobre sua vida com RP. 

Ele descreveu como as pessoas pensavam que ele estava sendo rude porque ele andaria por eles nas ruas e não dizer olá. A verdade é que ele não podia vê-los. 
Era famoso para dirigir carros extravagantes como Bentleys, Maseratis e Ferraris. Quando ele parou de fazer isso, ele disse, "as pessoas pensavam que eu estava sem dinheiro porque eu já não tinha carros caros." A verdade é que sua visão era muito pobre para ele dirigir. 
Apesar de seu impacto em sua vida RP não diminuiu o prefeito Da para baixo, mas agora há um novo ensaio clínico em andamento que pode ajudá-lo, e outros como ele, recuperar alguma daquela visão perdida. 
O julgamento é o trabalho do Dr. Henry Klassen na Universidade da Califórnia, Irvine (UCI). Dr. Klassen acaba de anunciar o tratamento de seus primeiros quatro pacientes, dando-lhes células estaminais que esperamos irá abrandar ou mesmo reverter a progressão de RP. 
"Estamos muito satisfeitos por estar se movendo para a clínica depois de muitos anos de pesquisa banco", disse Klassen em um comunicado à imprensa . 
Cada paciente recebeu uma única injecção de células progenitoras da retina. Espera-se que estas células ajudem a proteger os fotorreceptores na retina que ainda não foram danificados pela RP, e até mesmo reavivar aqueles que se tornaram prejudicados, mas ainda não foram destruídos pela doença. 
O ensaio irá recrutar 16 doentes nesta fase 1 do ensaio. Todos receberão uma única injeção de células retinianas no olho mais afetado pela doença. Depois disso, eles serão seguidos por 12 meses para se certificar de que a terapia é segura e para ver se ele tem quaisquer efeitos benéficos sobre a visão no olho tratado, em comparação com o não tratada. 
Em um comunicado de imprensa Jonathan Thomas, Ph.D., JD, presidente do Conselho CIRM disse que é sempre emocionante quando uma terapia sai do laboratório e em pessoas: 
"Este é um passo importante para o Dr. Klassen e sua equipe, e esperemos que um ainda mais importante para as pessoas lutando contra esta doença devastadora. Nossa missão no CIRM é acelerar o desenvolvimento de terapias de células-tronco para pacientes com necessidades médicas não satisfeitas, e isso certamente se encaixa nesse projeto de lei. É por isso que investimos quase US $ 19 milhões em ajudar esta terapia a atingir este ponto. " 
RP não derrotou o prefeito Da. Willie Brown ainda é conhecido como uma cômoda afiada e uma mente política ainda mais nítida. Sua mensagem para as pessoas na conferência Everylife Foundation foi, "nunca desista, continue lutando, continue empurrando, continue esperando". 

Fonte :
https://blog.cirm.ca.gov/2015/08/12/da-mayor-and-the-clinical-trial-that-could-help-save-his-vision/